21 de ago de 2015

MAMA ROCK - SOM INDEPENDENTE PARA PROVOCAR O CAOS

Exemplo bem sucedido de DIY (Do It Yourself, ou ‘Faça Você Mesmo’ em português), o festival independente Mama Rock chega a sua nona edição, no próximo sábado (22). Seguindo o som e a linha dos festivais e festas punks dos anos de 1970 e 1980, o Mama Rock é uma criação coletiva de bandas que cansaram de esperar por bons lugares para tocar e expor seus trabalhos geralmente calcados em composições próprias. Mais que músicas, nos festivais da turma é comum a comercialização de CDs das bandas envolvidas e outras do underground local e brasileiro, além de camisetas e outros acessórios. Na edição 9, as novidades são as exposições artísticas de Syndd Ramos e Cleber DaMaiia.

O festival tem caráter colaborativo, que promove a união de músicos de várias vertentes do rock, as bandas ‘emprestam’ suas músicas e todos se dão bem nessa jogada. Nas edições passadas, essa união rendeu bons frutos às bandas envolvidas, como viagens pra Boa Vista (RR) e Santa Helena (Venezuela), gravação do disco da Dpeids e a compra de uma nova guitarra para a Antiga Roll, mais o reconhecimento do público e da crítica.

Novo do Rock Rocket


Na festa de número ‘9’ do Mama Rock a atração principal fica por conta do trio paulistano Rock Rocket que comemora os 10 anos do lançamento do épico etílico ‘Por um rock and roll mais alcóolatra e inconsequente’. Não sendo a primeira vez dos caras em Manaus, a banda já tem intimidade com a cena local, conta o vocalista e guitarrista Noel Rouco.

“Gostamos muito de Manaus e sempre nos demos bem com o pessoal. Temos um público fiel e grandes amigos. Já conhecemos e tomamos muita cerveja com praticamente todas as bandas que vão tocar conosco no Mama Rock 9. São grandes bandas, gosto bastante e escuto em casa quando lançam material novo. A cidade tem uma cena muito forte e é um prazer poder fazer parte disso, mesmo morando em outro Estado” disse o músico.

No set list, as diferentes fases da banda serão ouvidas pelos fãs. “Vamos mesclar o repertório dos nossos três primeiros discos e também apresentar três inéditas que farão parte do nosso novo trabalho, que será lançado em 01 de Outubro. A energia e a pegada continuam intactas” afirma Rouco. Ainda sobre o novo disco, Noel ‘entrega o serviço’. “No disco novo contamos com várias participações. Rafael Crespo (Planet Hemp), Ariel (Invasores de Cérebro), Pedro Pelotas (Cachorro Grande), Luciano Malásia (Ultramen), Pedro Bizelli (Os Skywalkers) e Igor Diniz, mas a formação básica do Rock Rocket continua a mesma há sete anos, o Alan na bateria, Jun Santos no baixo e eu na guitarra e voz”, conclui.

Uma nova geração


Completando a line-up do festival está a Veludo Branco de Roraima, e as locais Os Morgados, Dpeids, Infâmia, Antiga Roll e Os Playmobils. Vocalista da Antiga Roll, Diego Yamane explica como surgiu o festival. “O Mama começou basicamente como uma reunião de amigos, que gostam de um rock sujão, cerveja e diversão. Depois de uma viagem doida que rolou pra Maués em 2012, em que o barco em que estávamos quase afunda depois de um temporal, formava-se ali o que a gente batizou na zoação de "equipe mama na onça", uma galera sedenta e sempre brincalhona, que estava sempre nos rocks da cena, acompanhando as bandas que faziam um som autoral, puxado para o punk, rock'n'roll, hard rock e blues”, conta Yamane.

O Mama Rock é reflexo de uma nova onda de bandas que surgiu na cidade após um período silencioso, comenta Diego. “Naquela época estávamos num momento bem legal de ressurgimento da cena, com bandas novas aparecendo a todo instante, ao mesmo tempo em que outras bandas lançavam material cada vez com mais qualidade”, resume.

Para os músicos da equipe ‘Mama’ o trabalho não pode parar. “Tem muito mais pela frente, a evolução disso talvez seja o Mama Records, selo independente que criamos pra oficializar todo esse trampo de produção e tentar contribuir mais ainda com esse cenário musical que vivemos aqui. Do It Yourself na veia!!”, brinda Diego.

Zumbi do Bar


A Antiga Roll é um exemplo dessa retomada do espírito DIY em Manaus. A banda recentemente lançou o álbum “Zumbi do Bar” que teve um pouco mais de dez meses de produção, conta Diego. “Começamos a pré-produção em julho no E.S.P Studios com o Eddie Cabeleira. Em setembro começamos a gravar no Estúdio Supersônico com o Beto Montrezol, que além de gravar, co-produziu o disco com a gente” comenta.

Como acontecia antigamente, o espirito DIY acaba por criar um network que facilita as coisas para os envolvidos, explica o vocalista. “A mixagem e masterização ficou com Gabriel Zander (Estúdio Superfuzz, no RJ), um cara super competente, que atua com produção musical em geral, é frontman da Zander e foi líder da hoje extinta banda de punk rock, Noção De Nada. Esse cara foi indicação do brother Gabriel Thomaz do Autoramas, e gostamos muito do estilo dele de mixagem, achamos que casou muito bem com nosso estilo e proposta do disco” conclui Yamane.

SERVIÇO
O que é? Mama Rock 9
Onde? Wandyn Bar, Rua Emilio Moreira, 612 - Praça 14 de Janeiro
Quando? Sábado, 22 de agosto, à partir das 21h
Quanto? R$ 25

- Artur Mamede -

Nenhum comentário: