16 de jul de 2013

SENTA A PÚA – IX RORAIMA SESC FEST ROCK – UM SONHO VISIONÁRIO, UM FESTIVAL INESQUECÍVEL! (PARTE 1)


Maior e mais tradicional festival de Rock de Roraima, chegou a 9ª Edição elevando o nivel do rock roraimense a novos patamares, celebrando o dia mundial do rock e provando que a chama do metal arde inesgotavelmente no peito dos headbanguers de Roraima. Um festival que entra para a história do rock acima da linha do Equador, como o maior e mais inesquecível de todos os tempos em Roraima.

Por Victor Matheus – www.roraimarocknroll.blogspot.com

Minha história com o rock n'roll começou no ano de 1993. Minha família morava de favor numa casa simples, de 2 cômodos ao lado de uma oficina mecânica onde meu pai trabalhava. Lá, havia um garoto de 17 anos chamado FRED, que trabalhava como “severino” na oficina mecânica, e morava nos fundos da mesma, num pequeno espaço onde havia somente sua rede, poucas sacolas com roupas, um toca disco e vários vinis de rock, entre eles ACDC, OZZY OSBOURNE, BLACK SABBATH, RATOS DE PORÃO e SEPULTURA. 

passatempo rocker juvenil: Rabiscar logomarcas de bandas
A esquerda; Logo do Sepultura; A direita: Logo da banda local Pandora

Nessa época eu era apenas um garotinho curioso por música, que sonhava ser cantor e tocar violão e devorava todo tipo de som que caia na minha mão, ouvindo desde sertanejo, música gaúcha, até as rádios locais AM e FM, onde adquiri o hábito de gravar fitas K7 com as melhores musicas que eu curtia e ligava na rádio pedindo para tocar. Internet, mp3, download nem existia, e a pirataria acontecia assim (risos). Também curtia muito ir no trampo do meu coroa e ficar por lá tirando onda de “mecânico mirim”, até que um dia descobri nos “aposentos” do FRED uns discos de vinil com capas legais e nomes estranhos. ACDC, Ratos de Porão, Sepultura, Black Sabbath, Slayer... Rapidamente essas capas me chamaram atenção e a curiosidade em ouvir o que saía daquelas bolachas... Numa traquinagem de moleque travesso, comecei a surrupiar um por um daqueles discos para ouvir na velha vitrola da marca National na minha casa, enquanto meus coroas estavam trabalhando. Foi a partir daí que fui iniciado no rock n'roll, partindo direto pro rock pesado, e mesmo sem entender patavinas do que era dito pelos cantores naqueles discos, a melodia agressiva, pesada, e o ritmo emulados das caixas de som me contagiavam, e feito uma criança “perturbada” eu já brincava de guitar air sozinho, imitando os cabeludos daqueles discos. Também adorava desenhar nos braços com lápis de olho da minha coroa desenhos rockers, imitando tatuagens... Culpa do Velho Ozzy, de quem eu queria ser igual quando crescesse... Menos gago!


ACDC, Black Sabbath e Sepultura eram as minhas bandas preferidas nessa época. Eu curtia tanto essas bandas que tinha o hábito de rabiscar suas logomarcas nos meus cadernos de escola. Fazia desenhos com a logomarca do Sepultura numa folha A4 e trocava-os com meus colegas de escola por churros... Tenho até hoje o primeiro desses desenhos que guardo com carinho... Mal sabia eu que vinte anos depois, na minha cidade, eu presenciaria o show de uma das bandas que comecei a ouvir na minha infância, e que ainda hoje me faz ter vontade de bater cabeça e banguear até o pescoço ficar dolorido, e reconsiderar que mesmo sem os irmãos Cavalera, o SEPULTURA ainda continua sendo a maior banda de metal do Brasil, e uma das maiores do mundo.


O IX Roraima Sesc Fest Rock chegou a 9ª Edição em 2013 fazendo história e provocando um novo divisor de águas na história do rock acima da linha do Equador. Quem mais poderia promover um festival do porte que foi o Fest Rock desse ano, e ainda por cima, trazer a maior banda de metal do Brasil? Somente o SESC Roraima têm esse lastro, e se alguém aí ainda duvida da capacidade e competência do SESC em promover eventos de rock com sucesso de público, a resposta foi dada neste último fim de semana na área das piscinas do Sesc Mecejana.

Desde o ano passado, o SESC Fest Rock resgatou a essência do que já foi no passado, uma festa para celebrar o dia mundial do rock com bandas locais autorais e covers, bandas convidadas, e atrações nacionais. Neste ano, o Festival deu o seu maior passo até então, ousando não somente na estrutura, que está afiada e chegou ao nível desejado para este tipo de evento, apesar de ainda pecar em pontos cruciais como a estrutura de som, principalmente do palco “xuxuzinho”, ou melhor, palco PEDRA PINTADA, que ainda sofre de carência na sua estrutura de som, prejudicando o show de algumas bandas, mas também ousando na programação, que se não agradou de um todo o público, ainda assim foi a mais eclética em termos de estilos e de mais prestigio até então, que deve ter agradado em cheio ao público mais fiel do Festival, os headbanguers!

FEST ROCK "DE GRÁTIS" - Os 50 primeiros de cada dia entravam de graça no evento

Foi notório que o publico torceu o nariz quando foi divulgado os valores dos tickets para o Festival, afinal, os valores praticamente triplicaram em relação as edições anteriores, equiparados a preço de grandes festivais do Brasil, como SWU e ROCK IN RIO, o que pode ter justificado o pouco público que foi prestigiar o primeiro dia de evento. Ainda assim é preciso ressaltar que as mudanças dos valores dos ingressos deve ter acontecido por vários fatores, entre eles os custos para trazer duas atrações nacionais, em especial o Sepultura, que para conhecimento de todos, tem um cachê médio de 35 mil reais por show e uma equipe que varia de 12 a 20 pessoas... Se formos colocar rápido na ponta do lápis, incluindo o atendimento dessas bandas nacionais (Baranga e Sepultura) e convidadas (RHEVAN, DIVINE SYMPHONY, EUTANASE), além dos cachês, aéreas, atendimento local (hotel, diárias de alimentação, camarim, translado, segurança), estrutura de som para o show das bandas e encargos fiscais, não titubeio em dizer que já vai na conta do festival, por baixo, algo entre 150 e 200 mil reais! É isso mesmo! Pensa que é fácil promover um festival desse porte? Sem contar toda a estrutura que o Sesc disponibilizou este ano, com uma área de alimentação, 2 palcos, mini rampa de skate, stand de apoiadores, e uma mega equipe de produção para dar conta do trampo... É muita coisa para pensar, e talvez por isso, e algo mais que não é do meu conhecimento, o SESC tomou a decisão de aumentar os valores dos tickets, ao meu ver justificável, mas que precisa ser revisto para o próximo ano, afinal, temos que medir o sucesso do evento não somente pela estrutura e a programação, mas também pelo prestígio do público que comparece. Ainda assim, os valores dos ingressos não são pontos negativos, mas uma experiência válida para as edições futuras, assim com o front stage, que se mostrou totalmente fora de contexto com o Festival. Deixa essa parada de front stage para evento burguês, para os shows de forró e sertanejo, porque o publico rocker gosta mesmo é de estar no gargarejo batendo cabeça e curtindo as bandas...

O FEST ROCK provou também que o rock roraimense está bem servido de bandas competentes para tocar de igual para igual com as atrações nacionais, e me arrisco a dizer porque não também serem headlines? Quem viu o show das bandas DITAMBAH, A COISA e IEKUANA certamente entenderá o que digo, pois colocando de frente as bandas convidadas, teriam agitado e segurado muito mais público, principalmente a descartável e decepção para 11 em cada 10 pessoas que estiveram lá, a banda RHEVAN, de Mato Grosso..do Sul, que fez seguramente, o pior show do Fest Rock deste ano, e um dos piores de todas as edições anteriores... O que era aquilo em cima do palco? A dupla sertaneja de guitar/batera “Edson e Hudson”, com um chapéu ridículo de cawboy, blusinha justa e calça cheia de brilho no melhor estilo... Bruno e Marrone? Alô! É festival de rock porra! Não é porque veio do Mato Grosso que tem que pagar de sertanejo universitário! Piorando tudo, junte uma vocalista travestida de iemanjá, querendo pagar de híbrida de Evanescense/Nigthwish, cantando num falsete fake horrível, inaudível e desafinado na maior parte do tempo, que expulsou os bravos banguers que ainda aguardavam já madrugada adentro o show do BARANGA... Sem dúvida a bola fora do Festival!

RHEVAN - Gotic Metal ou sertanejo universitário da pior qualidade?

Fica aqui a sugestão pra produção do Festival para o ano que vem: Em vez de gastar dinheiro com passagens aéreas para bandas convidadas de outros estados além do norte do Brasil, cachês e atendimento local, que já botando de novo na ponta do lápis e na conta do festival pelo menos uns 10 mil reais a mais de despesas com essas bandas, é melhor chamar bandas de Manaus, que tem muito mais a agradar do que uma banda de gotic metal pré produzida para tocar em novelas... Achei válido a produção trazer uma banda desse estilo para o Festival, mas já ficou claro que banda assim tem público sim, para uma cidade com 20 milhões de habitantes, não em Boa Vista... Quer trazer bandas convidadas que agradem em cheio o público banguer de Roraima e que possam realmente fazer frente as atrações nacionais? Posso sugerir pelo menos duas bandas boas de Manaus, entre elas NEKROST e BRUTAL EXUBERÂNCIA. A primeira já veio por aqui antes e tocou simplesmente no WACKEN, e a segunda, certamente fará mais bonito que a iemanjá fake do pantanal. As outras bandas convidadas, DIVINE SYMPHONY e EUTANASE são a prova do que digo, e se mais alguém discorda de mim e eu estiver errado, me calo agora mesmo e não escrevo mais uma linha! 

DIVINE SYMPHONY - Pescoços doidos, cabelos voando

DIVINE SYMPHONY simplesmente calou o cu de qualquer poser travestido de banguer que acha que rock “gospel” não pode participar do evento... Não só a DIVINE, mas a ST SEVEN também, que mesmo tocando apenas “covers divinos” foi um dos destaques do grupo de bandas covers do Festival porque não optou pelo óbvio, tocar especiais de grandes bandas do rock mundial, mas teve peito pra tocar um som pouco conhecido da maioria do público local, acostumado a ouvir sempre os mesmos covers que já deram no saco faz tempo... Espero que no próximo ano vejamos um show da banda ST SEVEN com as músicas autorais, pois o front man MACIEL FAGUNDES tem um dos vocais guturais mais definidos e impressionantes que já ouvi na vida! Certamente o material próprio da banda vai agradar tanto banguers como os irmãos de fé.

ST SEVEN - Destaque entre as bandas covers da primeira noite do Festival

Todos os anos, o comentários nos bastidores sempre é o mesmo: Qual será o segundo melhor show das bandas locais no Fest Rock? É isso mesmo! Ano após ano, a banda A COISA vem se tornando o símbolo maior do Roraima Sesc Fest Rock. MR GAL e suas COISAS fazem um show a parte. Indiscutivelmente um dos melhores shows de todo o Festival, e o melhor entre as bandas autorais se houvesse premiação, apesar que no dia seguinte, outra banda local também fez bonito, a IEKUANA, mas isso comentaremos na parte dois dessa história.

A COISA - Mais um show épico pra história do Fest Rock

A banda BARANGA fechou a primeira noite do FEST ROCK e trouxe seu rock sujo e direto, bebendo descaradamente na fonte de ACDC, MOTORHEAD e MATANZA... Um bom show de rock para quem curte riffs abertos, guitarras dobradas, vocais rasgados, cusparadas para cima e bangueadas a lá Chuck Berry... Os poucos rockers sobreviventes, mesmo debaixo de chuva bateram cabeça junto da banda, que fez seu trabalho bem feito, apesar de pouca gente ainda conhecê-los por aqui.

BARANGA - Rock n' roll sem frescura para quem gosta de bater cabeça

Mesmo com pouco público, a primeira noite do Festival aqueceu os ânimos do público que guardou energias para o “gran finale” que aconteceria no dia seguinte, num domingo inesquecível para o rock roraimense, que decretou para mim, o DIA DO ROCK RORAIMENSE, mas isso, eu compartilho na segunda parte dessa odisséia rocker...

Continua...

* Fotos: Assessoria de Comunicação do SESC RORAIMA

15 comentários:

Cesar... disse...

Assino embaixo, com um detalhe, nem precisa mais trazer bandas de Manaus ou de fora pra fazer o pré-show das bandas nacionais. Já temos aqui bandas com competência e carisma pra isso. Economiza no orçamento pra valorizar as bandas locais. Todos ganham.

Thiago disse...

Primeiramente vemos que vc nem de Geografia entende, pois Campo Grande fica no Mato Grosso DO Sul,segundo, vc vem querer julgar a banda pelo visual?!Que tem haver com sertanejo meu jovem?! Se fosse assim as bandas dessa região teriam que tocar vestidos de índio e cheio de tambores! Terceiro, falsete?! Vc sabe realmente o que eh isso?! Pesquisa lah e me fala o q eh um falsete em vocal feminino! Realmente teve momentos que teve notas vocais meio fora, mas vc sabe como estava o som lah em cima?! Se vc não gosta do estilo, blz, respeito a sua opinião, mas vc flw muita bosta, tah com ciuminho de ter bandas de fora?! Agora pior banda do festival?! Massa...boa deve ser a sua banda, tomara q no proximo fest ela toque!

Anônimo disse...

Poxa, pena que não falou da MELHOR banda da noite: Veludo Branco.

Ah é do cara que escreveu a resenha? Não pode falar? Só pode atacar as bandas de fora?

Deprimente...

Anônimo disse...

É claro... devemos ignorar alguns fatos, como muita gente ir embora devido ao cansaço! e também, que muita gente foi apenas no dia do Sepultura que com certeza foi o que segurou o publico até o final no segundo dia!

http://1.bp.blogspot.com/-7XzYMdYqe1w/UOb6v0kUH3I/AAAAAAAAAIA/R0DQnt_Lfe4/s1600/veludo+branco+-+capa+(antes+que+o+mundo+acabe...+veludo+branco+ao+vivo).jpg

no auge da ignorancia pelo visual da banda acima, deveria falar que veludo branco é um show de paquitas :D

Anônimo disse...

AHEUAHEUHEUE... BOA RESENHA.. MAS NA REAL... ALGUEM DA BANDA DO MATO GROSSO DEVE TER COMIDO A MINA DO CARA QUE ESCREVEU.. KKKKKKKKKKK LEMBRO DE OUTROS SHOWS COM POUCO PUBLICO NO FEST ROCK... E PRA ATACAR OS CARAS ELE SÓ POSTOU A FOTO DO PUBLICO DELES.. AHUEHEUHEU.. SENDO QUE BARANGA, DIVINE SYMPHONY TAMBEM ESTIVERAM FRACO DE PUBLICO... CONCORRENCIA DESLEAL AFINAL... ATÉ QUEM NUNCA TINHA OUVIDO NENHUMA MUSICA DO SEPULTURA FICOU ATÉ O FINAL PARA VELOS

Anônimo disse...

Devo começar meu comentário destacando que o conhecimento de geografia do nosso colega Victor é tão profundo quanto seu conhecimento musical. Não é muito difícil saber que Campo Grande é a capital do Mato Grosso do SUL! Se ainda há dúvidas consulte o Google, ele ajuda bastante! Já aproveita e pesquisa também como seria possível uma mulher cantar com falsete. Alguém que se diz músico tem a obrigação de saber coisinhas básicas.... Mas bom, vamos ao que interessa. Acho que seria meio chato ficar repetindo que a resenha demonstra apenas inveja e ciumes das bandas de fora (o que é a pura verdade). Então, meu amigo Victor, quem se dispões a comentar sobre algum assunto deve ter conhecimento de causa. A banda Rhevan tem uma longa história de evolução. Está em seu segundo CD, lançado por uma gravadora importante. É ganhadora de vários prêmios, dentre eles: melhor videoclipe, melhor instrumentista, banda do ano, etc... Toda sua história está disponível a todos pela internet, em seu site, facebook e youtube você poderá comprovar tudo que disse. Eles fizeram um show incrível, se preparam muito para isso. Tenho certeza que todos eles têm muito a agradecer à organização do festival. É uma pena ler uma resenha desse nível, infelizmente são pessoas como você que enfraquecem a cena. Mas ainda bem que este é um fato isolado, a Rhevan sempre recebe as melhores notas e elogios dos blogs e sites. Sua infeliz resenha cairá logo no esquecimento! Passe bem!

Victor Matheus disse...



Olá Thiago. Obrigado pelo comentario e pela observação quanto ao estado de origem da banda. Realmente me equivoquei e ja corrigi no texto.

Se eu fosse julgar Rhevan somente pelo visual seria bem pior a historia. A qualidade musical da banda no show que realmente comprometeu tudo! Acho que você não entendeu direito minhas palavras... Não é porque a banda é do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul ou da China que deve necessariamente tocar com as vestimentas dos costumes culturais locais, ainda assim eu prefiro usar um cocar e tocar rock n'roll do que usar um chapeu de cawboy de barretos e dançar o tchere tche tche!

Segundo o wikipedia, falsete "é assim chamado por depender diretamente do conjunto de músculos intrinsecos da laringe. É especialmente usado por cantores do sexo masculino..." ou seja, ao meu entender não é exclusivo do sexo masculino... Agora se a vocal não usou falsete então está mal das pernas ein diretor?

Tive o prazer de tocar no mesmo palco que a Rhevan, e nos monitores o som estava lindo, mas infelizmente nos PA'S deixou um pouco a desejar na qualidade mas ainda assim não prejudicando o show das bandas. Repito! Faltou culhão pra banda e carisma!

Curto desde Brujeria a Pink floyd, de Barão Vermelho a Nightwish, e tenho o conhecimento minimo para expor aqui no blog resenhas de shows, festivais e afins, essa é a missão também do blog.

Felizmente não tenho ciumes de bandas de fora, pelo contrario, também promovo shows, eventos e festivais aqui e sempre participam bandas de fora. Na verdade me deu foi é vergonha, como artista, de ver um show de uma banda de fora como foi o da Rhevan. Brochante!

Minha banda não é boa e nem ruim. Somos apenas uma banda independente que sempre busca evoluir e trabalhar serio e proporcionar o melhor show possivel para o publico. Tem gente que gosta e outros não, mas a vida é assim, pra que chorar?

No mais, é isso. Minha opinião sobre o show da Rhevan continua a mesma e infelizmente foi essa a impressão que a banda deixou para 101% do publico daqui. É uma pena que devo ser o unico sincero a dizer isso publicamente...

Desejo poder quem sabe um dia ver novamente um show da Rhevan, quem sabe aqui mesmo em Roraima e poder me impressionar positivamente e apagar a imagem deprimente que a banda deixou aqui...

Obrigado pelo comentario Thiago.

Abraços!

Victor Matheus.




Francisco Damasceno disse...

Bom, o fest rock foi muito bom, a Rhevan fez um bom show e eu gostei bastante, fiquei lá no palco até o fim do show, comprei cd e tudo mais. Lógico que pelo menos lá de perto não dava pra ouvir muito bem a voz, o que não é culpa da banda, mas eles tocaram muito bem, o som muito foda, e o pessoal da banda é super gente boa e foram muito atenciosos conosco, diferente do autor do texto que é um pseudo-rocker metido a astro que toca numa banda de quinta categoria que NINGUÉM em boa vista gosta, aliás eu gostaria de saber se alguém em boa vista gosta dessa VELUDO BRANCO porque eu não conheço ninguém que curte o som de quinta deles... Não entendi muito bem o motivo da crítica tão mal elaborada que ele fez pra banda, pois o visual da veludo branco só não é pior que restart...

Fiquei sabendo de uma pessoa que trabalhou no evento que o sr fez mó briga pra que sua bandinha tocasse no horário da Rhevan...e não conseguiu... foi esse o motivo da sua crise psicótica ??
Já que é bom en fazer críticas, vou lembrar a você que toda vez que sua banda toca, o clima de alegria da noite despenca ao nivel zero...

Anônimo disse...

Mas ow vitor fala aee... quem dos integrantes da banda Rhevan comeu sua mina pra ficar tão puto? provalvemente deve ser o cara de chapéu de cowboy né!?? uhauhahuaauhauhahuaahuauhauauhua.
E na boa,isso é nome de banda: Veludo Branco, foi sua mãe quem deu o nome na hora que ela tava fazendo trico? vocês tocam o que? com esse nome só pode ser musica de ninar.

\,,/

Gleydson Keyler disse...

Olá Victor...
Na história do metal/Rock'n Roll tivemos muitos músicos então dignos de tocar com os astros do sertanejo que vc parece tanto aclamar.
lynyrd skynyrd, hellyeah, OUTLAWS, moonspell, Lemmy Kilmister, johnny winter e muitos outros nomes conhecidos já tocaram com o tão temido Chapéu de COwboy e não cAwboy... (explicar pra vc é só juntar a palavra Cow=vaca + Boy=Garoto )... resumindo o tão criticado chapéu... eu gosto de southern rock, e acho uma atitude totalmente cabível ouvir e tocar sweet home alabama ou qualquer outra música com o meu chapéu... assim como vc gosta deste negocio que vc produz com sua banda, mas prefiro não entrar em detalhes. E sim eu amo ressaltar o pouco regionalismo que tenho até mesmo cheguei ao ápice de tatuar um cranio de vaca em meu braço.
No geral sobre sua resenha sobre o roraima fest rock... não ha como dizer que é tudo besteira, mas você falou muitas asneiras e coisas desnecessárias... e acredito que o publico pedindo autógrafos, cds, camisetas, buscando trocar algumas palavras com a gente e elogios sejam fatos que desmentem algumas coisas que vc escreveu.
No mais, abraços e continue fazendo o melhor que pode na musica, pois nunca da pra agradar a todos!

Gleydson Keyler
Rhevan

Gisele disse...

Fica aqui o nosso muito obrigado a todos! O que uma banda precisa é de mídia mesmo, isso só engrandece nosso trabalho. O festival foi ótimo, a simpatia e receptividade do público ainda melhor! Foi uma experiência muito boa que lembraremos sempre! Toda equipe da duro para levar ao público um som de qualidade, não apenas baseado em um visual de rockeiro mauzão ou de gótica gostosa como muitos esperam. Mas sim com a identidade e influencia de cada integrante.

Victor Matheus disse...

Olá Gleydson,

muito obrigado pelo seu comentário parceiro!

Concordo com você em relação a preferência do chapéu cawboy, cowboy, ou vaqueiro mesmo (risos)... Cada um escolhe o visual que quer para tocar, mas a impressão que tive foi essa mesmo que comentei... E cada banda sabe de sí, afinal há bandas de metal pesado como Pantera, que usa bermudas cargo e all star... Estranho? Na época era ofensivo para os gods of metal, hoje já virou padrão... Quem sabe a Rhevan, ou a cena e Mato Grosso...do Sul tem essa característica e não conhecíamos, ou talvez seja a nova tendencia da moda rocker de agora... Eu já tive minha fase banguer, rocker, glam rock, hard rock, psicodelic rocker... agora to na fase pai rocker! Se a banda é feliz tocando com o visual que tocou no Fest Rock tá de boua. Manda bala!

Infelizmente a impressão que tive do show da Rhevan foi essa parceiro... Esperava muito mais da banda pelo que assisti e ouvi na internet! Faltou culhão! Faltou tesão da banda em cima do palco.. Senti o grupo inseguro, a vocal desconfortável nitidamente... Não sei se a banda estava preocupada com a questão do som, da chuva, do pouco público mas isso ficou visível e paupável para olhos e ouvidos mais atentos... Há dias bons e ruins... A vida é assim mesmo! E a impressão que ficou depois do show pra mim foi de uma foda mau dada... Aquela que você deseja dar com a mina gostosa da escola mas quando vai pra cama descobre ser uma furada...

Só pra te contar uma historia rapida: Já tive a oportunidade de tocar em dezenas de festivais, em vários estados, receber criticas boas e ruins, e ter esse momento "star" de dar autográfos, receber o carinho do público... Não importa se a crítica é porrada ou paga pau, No final o que importa é o público! se ele curtiu ta valendo! As críticas são apenas críticas, opiniões, não a verdade absoluta!

Espero poder realmente assistir novamente a Rhevan e me impressionar positivamente e mudar de opinião e apagar a impressão ruim que tive do show da banda aqui.

No mais desejo sucesso ao grupo e sejam sempre bem vindos. O blog é dedicado ao rock roraimense mas todos que já passaram por aqui também tem espaço e nosso apoio! Sintam-se a vontade para mandar novidades e divulgar o trabalho de vocês por aqui também!

Sucesso a banda! Obrigado pelo comentário Gleydson e fique a vontade para participar sempre que quiser!
Abraços!

Victor Matheus

Victor Matheus disse...

Olá Francisco,

valeu pela participação! Muito obrigado pelo comentário e as críticas a Veludo Branco! Prefiro a sinceridade sem se esconder do anonimato, do que a falsidade pela saco que tem aos montes por aqui... Você tem o meu respeito meu caro! Só não aperto a sua mão porque não lhe conheço pessoalmente, mas se me encontrar se apresente sem receio, terei o maior prazer em conversar contigo!

Agora parceiro, preciso lhe dizer que esse teu informante aí está muito equivocado... Tive que dar uma sonora gargalhada ao ler o que você disse em relação a "crise psicótica", por ser total sem cabimento! Mas vamos aos fatos dos bastidores: Para o seu conhecimento e dos demais, durante a reunião das bandas com a produção do festival, foi informado o horário dos shows, então o baterista da banda Veludo Branco - Cesar Matuza, e não Eu, se manifestou propondo um rodizio no horário das bandas, inclusive a Iekuana tocaria na noite rocker e não na noite Metal. O Stallyn entrou em contato com a produção pedindo para alterar o dia da apresentação da banda... Sem cabimento total "exigirmos" tocar no horário de uma das bandas principais do festival! Somos apenas mais uma banda da cena e temos prazer imenso em tocar no Festival, não importa o horário que for!

Somos gratos demais ao Sesc Roraima por tudo que tem feito pelo rock roraimense, e sempre apoiaremos os eventos de rock promovidos pela entidade, afinal, se não for o Sesc Fest Rock, muita das bandas que tocaram esse ano talvez tocariam uma ou duas vezes por ano, por falta de espaço, por falta de apoio, por incompetência ou acomodação mesmo!

Fala pra esse teu informante fake que mentir é feio demais! Pega mau pra caramba! Esse lance de "me disseram" é papo de velha mixiriqueira! Procure saber os fatos de verdade e não acredite em tudo que ouve por ae... Tem muito lobo disfarçado de cordeiro, que adora manipular e criar "histórias" para provocar intrigas!

Valeu pela participação Francisco!

Grande abraço!

Victor Matheus

Cesar... disse...

Cara, vou dar minha opinião por itens:
1- Nada contra a banda, eu achei o show da Rhevan chato, talvés por ter criado muita expectativa, por não gostar do estilo, ou o show não foi contagiante, ou pela hora, mas não fui só eu, muitos comentaram as mesmas coisas, não sei se pelos mesmos motivos. Coragem de falar, poucos têm, tapinhas nas costas não ajudam uma banda a evoluir, encarar criticas impiedosas é um bom obstaculo pra renovar os brios. E outra, a fofoquinha que foram correndo contar pro pessoal de MS deve ter sido bem temperada de inveja, rancor e babaquice. kkk. já conhecemos os leva e trás muito bem, são da pior especie de fofoqueiros.. mas acho que a banda deveria avaliar e absorver as criticas e repensar o show, já fizemos isso, ja passamos por isso, é normal receber criticas ou fazer um show morno. E quanto ao visual, acho que tudo tem q ser sincero e ter atitude, tudo que pareca uma copia soa artificial. Fazer um show pra quem já está propenso a gostar da musica é entrar com jogo ganho. Conquistar o publico é mais dificil e precisa mais que roupas e imagens no telão.

2- O visual da veludo onde uns viram paquitas, eu vejo Sgt Peppers dos Beatles, questão de referencia.

3- quanto a reunião das bandas antes do festival, parece que a trupe da fofoca agiu novamente com mexericos de dona filómena da janela, talvez esses mesmos fofoqueiros maria lingua solta ficaram ofendidos com alguma coisa que falamos, ou se revoltaram por ter perdido o horario que cuidadosamente manipularam pra conseguir e foram contrariados. Manipuladores que se sentem contrariados geralmente saem falando mal dos outros.
Se eu sinto que estou sendo prejudicado ou manipulado eu abro a boca e jogo o papo reto logo, se você não fizer isso na mesma situação está sendo otário. E não era o horario da Rhevan que queriamos, e sim revesar os horarios das bandas locais em relação ao ano passado, apenas isso.

4- Não temos ciumes de bandas de fora, até pq fazemos isso constantemente trazendo bandas de fora pra nossos eventos, e bandas muito boas. Não se ache melhor a ponto de as pessoas terem inveja de vocês, por favor, isso soa mal.

5- mais alguma coisa? sei lá, não vivo pra banda, a musica não é meu ganha pão, faço por amor e por diversão, já recebi criticas, muitas, passamos por cima e tiramos o que achamos proveitaveis, e assim evoluimos, como banda e como pessoas. Humildade também se exercita.

6- Matogrossenses do sul, não achem que te odiamos, meu pai mora em MS, a critica escrachada é caracteristica deste blog, se foi pesada demais, talvez, mas leiam as entrelinhas e reflitam, e não acreditem em tudo que te falam daqui, tem muita inveja, despeito e manipulação em qualquer tipo de fofoca.

Abraços a todos e Paz!!

LAÍS LIMA disse...

Legal mesmo é a atitude de gente que se aproveita do anonimato pra usar palavras de baixo calão contra uma mãe de família. Não conheço a fundo a Paula, mas me ofendi e achei uma falta de respeito esse(a) babaca ter dito que alguém da banda Rhevan 'comeu' ela. Por favor, minha gente, vamos ter, pelo menos, respeito com alguém que não tem nada a ver com a historia.

Agora, vou falar como vocalista. Eu e meu marido, que também é musico, estavamos esperando ansiosos pelo show da Rhevan, pelo fato de ser um estilo que gostamos e também por ser mais um show pra extrairmos algo. Sinceramente, e falo por mim e por ele, a banda decepcionou SIM. Vi vídeos, vi clipes, li a respeito e esperava muuuuuito mais da vocal.

Gente, as pessoas criam tempestades em copinho de café. Criticas irão existir EM QUALQUER LUGAR, isso não significa que a banda seja a pior do mundo. As vezes, os fatores atrapalham e muito pra que tudo saia do jeito que a gente quer. Já cantei 2h pra 5 pessoas e é BROCHANTE, e quem ta assistindo percebe que estamos nervosos, enfim, só to aqui pra dizer que vocês estão criando caso. E, se pra vocês essa critica não tem nenhuma importancia, não tem porque esse alvoroço todo.

Beijinhos :*