29 de fev de 2016

SENTA A PÚA – SÉRIE ESPECIAL – DE BEATLES COVER A ASCENSÃO NO ROCK INDEPENDENTE DE RORAIMA

Celebrando 6 anos de história, o Blog Roraimarocknroll revisita nessa série especial de 7 episódios a sua trajetória, relembrando os fatos marcantes do rock roraimense que fez do portal a maior referência em conteúdo rock do extremo norte do Brasil. 

Por Victor Matheus – www.roraimarocknroll.blogspot.com

A relação deste blogger com as artes vem desde muito cedo. O envolvimento com a música vem de berço, naturalmente pela influência do pai, radialista e músico amador, que ensinou os primeiros acordes para o primogênito em 1993, quando este ganhou seu primeiro violão. 

O nome de batismo também vem origem artística, uma grande homenagem dada pelo pai e pelo avô materno ao maior artista gaúcho e ídolo, o saudoso e genial cantor, compositor e ator Vitor Mateus Teixeira, o Teixeirinha, falecido 16 dias antes da chegada deste blogger ao planeta Terra. 

Nos arquivos pessoais da família, há o primeiro registro em vídeo de uma performance artística, em 1989, filmado por um tio, onde o blogger, acompanhado do seu pai ao violão, canta a música “Hey Jude”, na versão de Kiko Zambianchi, grande sucesso da novela Top Model. 

Trecho do show da banda Papa Velhas na MatinÊ do COB em 2004

Outras expressões artísticas também fizeram parte na formação cultural do blogger, que praticou dança clássica e regional de todo o Brasil por 15 anos, estudou teatro, sob a tutela do professor Nonato Chacon, e na adolescência encontrou sua vocação para a escrita e a música. 

Foi somente com a primeira banda, a PaPa VeLHaS, formada em 2001 com amigos de escola, que o blogger passou a ter um contato mais intenso com a produção cultural. Com a ajuda e dicas do pai, organizou os primeiros shows da banda, e até “agenciou” o segundo show da carreira da lendária banda roraimense cover de metal, a Lepthospirose, conseguindo uma apresentação do grupo em um evento sobre Abuso Infantil na Escola Técnica Federal de Roraima, onde estudava. 

Matéria publicada no jornal Brasil Norte de agosto de 2003
sobre o show tributo da banda Papa Velhas ao Mamonas Assassinas

Em 2003 organizou com a banda PaPa VeLHas e a ajuda do pai, fundamental nesse episódio, o primeiro Tributo aos Mamonas Assassinas, realizado no Teatro Carlos Gomes, para arrecadar fundos para a formatura do ensino médio de alunos da ETFRR, com lotação esgotada, o que deu coragem e determinação para o blogger seguir e tomar a frente por definitivo seu trabalho com produção cultural. 

Mr Jungle no Espaço Marreta tocando o clássico autoral "Fazendo Rock N'Roll"

De 2004 a 2006, já tocando guitarra e compondo na Mr Jungle, também tomou o papel de produtor da banda junto com o vocalista, organizando shows, produzindo material promocional como camisetas, adesivos, e cuidando da publicidade da banda. Em 2004, pouco tempo antes de sair da Mr Jungle, organizou o tributo ao Pearl Jam, realizado no Baba Gula, e com a renda do show, a Mr Jungle pagou a gravação do seu primeiro CD, gravado na Toca do Rato, famoso estúdio do músico e amigo Albert Pink, onde anteriormente a banda gravou os singles “Estou Feliz” e “My Broken Heart”. 

Infelizmente o blogger não participou da gravação do debut e único disco oficial da Mr Jungle,  tão pouco recebeu até hoje qualquer valor relacionado aos direitos autorais do disco, mas grande parte do material gravado na bolacha tem músicas de sua coautoria, como “Churrascão”, “Desligado”, “Estou Feliz”, “I’m Ok”, “Mila”, “Rockstar”, “Salvação”, “Welcome Mr Jungle” e “Fogo” (última canção composta antes de sua saída da banda), além do clássico “Fazendo Rock N’Roll” (letra e música de sua autoria) não gravada no disco, e que fez muito sucesso na cena rock roraimense desse período. 

Matéria publicada no jornal Folha de Boa Vista de agosto de 2006
sobre o show tributo da banda Mr Jungle ao Pearl Jam

A experiência adquirida na produção cultural desde os tempos da banda PaPa VeLHaS, somada aos novos conceitos e processos da cadeia produtiva adquiridos durante o período em que a Veludo Branco fez parte do Circuito Fora do Eixo, e produções realizadas paralelamente a Rede como o Roraima Sesc Fest Rock de 2010, deram a base para que o blogger pudesse colocar em prática um projeto planejado ao longo do hiato auto imposto após sua saída do FDE e reestruturação da Veludo Branco. 

O que mais incomodava o blogger dentro do FDE quanto artista, era a falta de valorização real dos músicos, artistas e bandas em grande parte do processo. A máxima “Artista igual a pedreiro”, titulo do disco da banda cuiabana Macaco Bong, banda/projeto embaixador desse novo modelo de gestão emergente no cenário cultural brasileiro não vinha de encontro a nossa realidade, e aí, para quem conhece mais profundamente a Rede FDE, fica claro o viés marxista e neocomunista do circuito nessa época, que entrava diretamente em choque com os conceitos, ideias e ambições do blogger quanto artista e produtor cultural. 

Baú do Rock - Victor Matheus com 2 anos (esq) fazendo um show na varanda de casa
e no Grito Rock Boa Vista 2011 (dir) com a Veludo Branco

A Operação Cavalo de Troia nasceu para antagonizar com a nova realidade da música independente brasileira, especialmente a cena rock de Roraima, já tomada por vícios desse circuito, principalmente com a política do não pagamento de cachê as bandas. 

O projeto era uma hibridização do cenário independente cada vez mais imerso no discurso do FDE com ideias liberais. Enquanto o FDE valorizava “o coletivo”, o “indivíduo” não obtinha espaço, tão pouco mérito, ou lastro, se não estivesse em relação direta com o núcleo duro nacional. Em outras palavras, “o evento, o circuito, era mais importante que as bandas nesse processo” e isso, no entendimento do blogger era uma enorme contradição ideológica e desvalorização do principal “produto”, o artista. 

Pablo Capilé, um dos idealizadores do Circuito Fora do Eixo
O vídeo é de 2008, quando o orçamento do Festival Calango, 
apoiado pela Petrobras e outras fontes, JÁ ERA de R$ 600 mil 
e não havia pagamento de cachê para as bandas. 

Por isso, a nova proposta de gestão do blogger para as bandas e a cena, seguia velhos conceitos do mercado da música adaptados a nova realidade do cenário, costurando o que havia de melhor em ambos, baseado em muita pesquisa, experiência real, vivências de ambos os modelos, e reinvindicações dos próprios artistas e personagens descontentes com essa nova plataforma colaborativa de produção cultural proposta pelo FDE. 


A resposta de China para o Coordenador do Fora do Eixo

Assim, o primeiro passo para apresentar essa “nova” proposta de autogestão artística e de produção cultural foi mudar o blog Roraimarocknroll de caráter pessoal para um blog cultural focado no rock independente de Roraima. 

A primeira ferramenta colocada em prática do ambicioso projeto, fez sua estreia no Grito Rock Boa Vista 2011, onde o blogger, a convite do Coletivo Canoa Cultural, participou do evento como apresentador e com a Veludo Branco como banda convidada. O resultado disso foi à publicação de uma Resenha do evento, em vários capítulos que causou um verdadeiro tsunami no cenário local, pelo seu conteúdo ácido e crítico, conflitando diretamente com o espírito automasturbativo predominante no cenário rocker roraimense, onde o “coleguismo” e a “diplomacia”, embebido de muita suspeita pelas intenções dos discursos, contaminavam o inconsciente roqueiro roraimense. 

Victor Matheus apresentando o Grito Rock Boa Vista 2011
realizado em frente ao palco Velia Coutinho

A resenha do Grito Rock Boa Vista 2011 foi um sucesso de audiência, colocando o Blog Roraimarocknroll em evidência no cenário cultural de Roraima, e fez nascer os primeiros mitos relacionados ao blogger, que passara de artista e apoiador da cena e bandas para o inimigo numero um das bandas da cena e também do FDE, por suas opiniões cheias de termos ácidos e provocadores. 

O estilo de escrita do blogger sempre foi assim, polêmico pela natureza sagitariana, muito pela influência de seus ídolos literários e jornalísticos, especialmente o lendário Lester Bangs, e talvez por isso, somado a uma certa imaturidade tanto do blogger em ter mais esmero com as palavras para “não magoar” os miguxos, também das bandas em compreender as críticas construtivas recheadas de metáforas e frases de efeito – o que não acontecia antes na cena - o caminho para o conflito foi pavimentado, alimentado ainda mais por intrigas homéricas, fofocas e mimimis, e supostas manipulações de informação fomentadas nos bastidores da cena. 

A partir desse episódio em diante, o Blog Roraimarocknroll, e todos os envolvidos diretamente com o blogger, foram expostos a uma verdadeira campanha difamatória de sua índole e suas intenções, que provocou desdobramentos decisivos na história recente do rock roraimense, provocando a ascensão de muitos personagens da cena, para o bem e para o mal, o rompimento definitivo de muitas relações, grupos e amizades, e um longo período de conflito ideológico, principalmente nas redes sociais, que encerrou, ou simplesmente adormeceu alguns anos depois, quando o blogger fez uma nova pausa em suas atividades culturais, porém até a paz definitiva voltar a cena, e talvez isso nunca aconteça de fato, muitas histórias felizes e tristes foram escritas, com o projeto Cavalo de Troia sendo executado com êxito, e sobre isso ainda contaremos mais em outros capítulos, e a verdade vindo a tona com os escândalos envolvendo o FDE divulgados em 2013 por toda a imprensa nacional, mas sobre isso e muito mais sobre o rock de Roraima, recordaremos nos próximos capítulo... 

Continua... 

2 comentários:

Cesar... disse...

Esse Capilé é uma piada,
"esse papo da banda se importar em receber cachê.." ah, vá sifude, porisso que só tem banda ruim nesse circuito, todos amadores, bandas de musicos profissionais de qualidade que vivem de musica não se sujeitam a essa mutreta de seita organizada

Fabio Gomes disse...

Bobagem isso de dinheiro, né, um conceito capitalista do caralho