2 de ago de 2013

EDITORIAL DA REVISTA ROADIE CREW DESTACA BANDA RORAIMENSE A COISA

Segue editorial da Revista Roadie Crew, escrita pelo nosso amigo Airton Diniz!

O Brasil que faz Rock

Uma das coisas mais prazerosas que essa atividade de editor da ROADIE CREW tem me proporcionado é a possibilidade de viajar pelo Brasil e conhecer de perto a cena Rock/Metal das mais diferentes regiões desse nosso país continental. Sempre que possível temos a participação de algum representante da revista em eventos que ocorrem fora de São Paulo onde estamos sediados, e quando sou eu o escalado para a cobertura isso me faz um bem danado. Cada viagem deixa uma marca, tem uma nova descoberta e, principalmente, amplia meu rol de amigos com pessoas que têm a mesma paixão que eu pelo Heavy Metal e o Rock em geral.

Isso tem acontecido de Norte a Sul, normalmente em festivais que recebem atrações nacionais vindas de outras regiões e, em alguns casos, até artistas internacionais. Mas um fato que é muito importante é que esses eventos reservam espaço para as bandas locais, o que permite às pessoas quem venham de fora tomar contato com grupos que atuam basicamente no âmbito regional. Já testemunhei também o aparecimento de algumas gratas revelações nas seletivas que organizamos do “Metal Battle”, sempre com participação exclusivamente de bandas locais nas etapas regionais, e essa é uma das maiores motivações para que mantenhamos planos de estruturar um novo festival nos moldes do “Metal Battle”, com aperfeiçoamentos e condições mais favoráveis, especialmente em favor das bandas participantes.

Foram muitas as surpresas positivas nesses anos todos, e isso se repetiu novamente por ocasião da minha visita a Boa Vista para cobrir o “IX Roraima SESC Fest Rock”. Tive oportunidade de conhecer vários músicos locais do mais alto nível e constatar que depois dessa minha “estreia” em Roraima, eu não poderia deixar de confessar a frustração pela minha ignorância, mantida até esse final de semana em que se comemorou o Dia Mundial do Rock, por não ter conhecido antes uma banda chamada A Coisa. Essa “coisa” que começou a ser germinada em 1987, com o Galdino Pinho Cavalcante, hoje professor de história na rede pública estadual, e seu parceiro Marcelo Marques (falecido em 2007), amigos desde os tempos de estudantes nas aulas de psicologia e filosofia. Diz a lenda que A Coisa se materializou na forma de banda a partir de 1996 e consta que gravou o primeiro álbum só em 2005. Seu trabalho é desenvolvido sobre uma base musical bastante variada, com composições no mais puro Rock ‘n’ Roll, outras no autêntico Heavy Metal, outras no Blues, e a criatividade ainda permite que tenha no repertório serenas baladas e até provocativas músicas bregas. Tudo isso apimentado com letras de forte conteúdo de contestação, salpicadas com palavrões que se encaixam tão bem no contexto que, por mais cabeludos que sejam, só soam agressivos para quem é alvo das críticas. E tem mais, seu show é muito mais que um concerto musical, é um teatro com comédia e drama ao mesmo tempo. Irreverência com consciência. Imperdível!

Será que alguém já viu “ess’A Coisa” em algum programa de TV em rede nacional? Certamente não. Azar de quem nunca teve a chance de viajar até Boa Vista para assistir a um show dessa artística trindade: o Professor Galdino, ou Mr. Gal, ou simplesmente A Coisa. Um privilégio dos roraimenses.

Airton Diniz.

FONTE: https://www.facebook.com/pages/Roraima-Sesc-Fest-Rock

Nenhum comentário: