11 de abr de 2016

LANÇAMENTO - MÍSSIL JAVALI - MALABARISTAS E ACROBATAS (CLIPE)

A banda lançou o videoclipe e single “Malabaristas e acrobatas”. O Single faz parte do primeiro Ep da banda, que está em fase de pré-produção.

“A música conta a história de uma mulher que vive um momento complicado em sua vida e não sabe definir qual é exatamente o problema, mas tenta enfrentar esse dilema da maneira mais inteligente”, disse o vocalista Yohaí Timbó.

Segundo ele, o videoclipe foi produzido pela Manga Rosa produções e mostra imagens da gravação do single. “As imagens foram feitas dentro do estúdio durante o processo da nossa música, o clipe representa a banda na produção do ep”, comentou.

O som da Míssil Javali é autenticamente roraimense, com influências da MPB, pop rock, rap e até mesmo do brega. Suas músicas abordam o cotidiano do caboco roraimense pelos anseios da vida. Além de por Iohay, a banda é formada por Everton 'Jimmy' (guitarra base), Júlio César (contrabaixo), Alexandre Cavalcante (bateria) e Emerson Nativo (guitarra).

Além do single que foi produzido por Bebeco Pujican, do Estúdio Parixara, a banda produziu um ensaio fotográfico e para isso escolheu como cenário as ruas de Boa Vista.

ASSISTA O CLIPE DA BANDA MÍSSIL JAVALI
'MALABARISTAS E ACROBATAS'


Ficha Técnica
Música: Malabaristas e Acrobatas
Banda: Míssil Javali
Edição e filmagem: Fabrício Viana e Matheus Gonçalves
Produção: Manga Rosa Produções
Áudio: Estúdio Parixara


Malabaristas e Acrobatas

Ela ouviu seu disco num show beneficente
Soube alterar a rota de escape da sua paciência
Fumou, deu um tempo e descansou sorridente
Rapidamente alimentou sua sede de aguardente

Malabaristas e acrobatas pela cidade
E eu aqui desafiando as leis da gravidade
Eu perdi minha carteira de identidade
E agora, como é que eu vou lembrar da minha idade?

Então meu coração 
Te quer o tanto que eu quiser

Antes fosse seu trabalho ou namorado. Era mais vital
Com um capacete e sua moto se achava... 
Se achava sensacional
Percebeu que no fundo eles só não se entendem
E que a solidão é o mal dos que muito pretendem

Malabaristas e acrobatas pela cidade
E eu aqui desafiando as leis da gravidade
Eu perdi minha carteira de identidade
E agora, como é que eu vou lembrar da minha idade?

Então, meu coração 
Te quer o tanto que eu quiser.

Nenhum comentário: