22 de mai de 2018

COLUNA RORAIMAROCKNROLL - ANO 7 - 47ª EDIÇÃO


Nesta Edição: Frank Zappa, Keith Richards, Supla, Ricardo Martins, Iekuana, Aerosmith, Black Pancho, Hélio Flanders, Krisiun, Filipe Catto, Cicada 3301

ABRE A CONTA 

Bom dia rocker! Nesta edição trazemos muitas curiosidades sobre a história do rock n’ roll e novidades da cena do rock do extremo norte do Brasil. Saiba quem foi um dos grandes gênios da guitarra no rock n’ roll. Nossa dica literária com a biografia de uma lenda viva do rock britânico. Ainda nesta edição, o novo disco do Papito. Direto do baú do rock roraimense o registro de um baterista icônico do rock macuxi, e no momento polaroid o novo ensaio fotográfico de uma das mais importantes bandas da cena. No rock list desta semana, os discos dos dinossauros do rock americano Aeromisth, e fechando a conta, nossa trip pelas redes sociais compartilhando as novidades que passam pelo instagram do Blog da coluna. Seja bem-vindo à coluna Roraimarocknroll, porque a história do rock você lê primeiro aqui! Boa Leitura, e ótima terça-feira! Let’s go!

_______________________________________________________________________ 

QUEM FOI FRANK ZAPPA? 
Frank Vincent Zappa (Baltimore, 21 de dezembro de 1940 — Los Angeles, 4 de dezembro de 1993) foi um cantor, guitarrista, produtor de gravação e realizador. Em uma carreira de mais de trinta anos, a sua obra musical estendeu-se pelo rock, fusion, jazz, música eletrônica, música concreta e música clássica. Ele também dirigiu longas-metragens e videoclipes e desenhou capas de álbuns seus. Zappa produziu quase todos os seus 60 álbuns que lançou com a banda Mothers of Invention, grupo que o acompanhou por boa parte da carreira e teve sua formação mudada muitas vezes, e como artista solo.
_______________________________________________________________________ 

LIVRO 
VIDA
(RICHARDS,KEITH)
O que o mito do rock Keith Richards revela em livro Vida surpreende até quem conviveu com ele, verdades até hoje não ditas. Imagina para os fãs do Rolling Stones? Em Vida, Keith Richards conta, de maneira crua e feroz, sua história, vivida de forma intensa no meio do fogo cruzado – desde a primeira infância, quando cresceu num bairro pobre ouvindo obsessivamente os discos de Chuck Berry e Muddy Waters, até o modo como levou a guitarra ao limite absoluto e uniu forças a Mick Jagger para formar os Rolling Stones. Com honestidade rasgada, Keith revela altos e baixos do rock’n’roll, a subida meteórica para a fama, as notórias prisões, as mulheres que teve, o vício em álcool e heroína. A lenda viva reconta como criou os solos envenenados que definiram Gimme Shelter e Honky Tonk Woman, seu romance com a infame Anita Pallenberg (mãe de três de seus filhos) e a morte trágica de Brian Jones. Da paixão por Patti Hansen a seu relacionamento com Mick Jagger, o leitor segue Keith em uma viagem inacreditável, porque é a jornada de um artista que vive sem temores e sem limites. 
_______________________________________________________________________ 

DISCO 
ILLEGAL
(SUPLA)
Nas letras que escreve, Supla se apresenta como um tenaz observador da cena pop e da sociedade em geral. Ele exerce esse dom novamente em Illegal. O álbum é duplo, com cada um dos discos contendo as mesmas canções. Só que o primeiro CD é cantado em inglês, o que é perfeito para ele apresentar para seu público fora do país, e o outro, em português. Illegal certamente é o álbum mais bem produzido do artista. O som ainda é o punk pop que o consagrou, mas o trabalho tem variedade, com uma pitada folk aqui e ali. O disco é valorizado pelas guitarras bem arranjadas e pelos efeitos diversos que passeiam pelos dois canais. Em várias canções, Supla dobra a voz, fazendo dueto com ele mesmo; também apela para o falsete, obtendo um bom efeito. O punk mais básico aparece na gritada “Apocalipse” e na faixa-título. Já “Ser Heróis” e “Tatuada em Mim” são eficientes baladas acústicas. O álbum acaba com o blues “Essa Não É a Balada do Ed Stab”, uma hilariante narrativa sobre um sujeito que se encontra em um momento difícil da vida. 
_______________________________________________________________________ 

BAÚ DO ROCK 
*Créditos: Os Rocks
Revirando o Baú do Rock Roraimense, resgatamos o registro do baterista Renato Martins, em show no Espaço Rock do Sesc Centro, com a banda Sheep em 2005... 
Um registro com cheiro de naftalina!
#baúdorock #osrocks
_______________________________________________________________________ 

MOMENTO POLAROID 
*Créditos: Charles Wellington
Pelas lentes de Charles Wellington, a história do rock roraimense é contada... O registro é do ensaio fotográfico da nova formação da banda Iekuana, que agora conta com Stallyn Buckely (voz), Dant (bixo), Rímolo Pina (bateria), Fabrício e Thiago (guitarra). 
Uma bela imagem digna de polaroid!
#iekuana
_______________________________________________________________________ 

ROCK LIST
O Blog Roraimarocknroll seleciona 5 discos indispensáveis da banda Aerosmith, para tocar no #Rocklist da sua vitrola. Confira: 
1. Toys in the Attic (1975) 
2. Rocks (1976) 
3. Pump (1989) 
4. Get a Grip (1993) 
5. Nine Lives (1997) 
_______________________________________________________________________ 

INSTAROCK 
A semana do rock roraimense no Instagram

#Black Pancho 
Siga @black_pancho 

#Hélio Flanders 
Siga @helioflanders 

#Krisiun
Siga @krisiunmetalfas 

#Filipe Catto
Siga @filipecatto 

Siga o Instagram do Blog Roraimarocknroll @roraimarock 
_______________________________________________________________________ 

RORAIMAROCK INDICA 
Confira os perfis e páginas que você deve acompanhar nas redes sociais 

#Cicada 3301
_______________________________________________________________________

FECHA A CONTA
Para se manter informado sobre tudo que acontece no rock roraimense 
Acesse o blog da coluna, no www.roraimarocknroll.blogspot.com 
Siga-nos no twitter @roraimarock 
Curta nossa página no facebook/blogroraimarocknroll 
Participe da coluna com sugestões através do e-mail roraimarock@gmail.com

PUBLICAÇÃO
JORNAL FOLHA DE BOA VISTA | CADERNO B
COLUNA RORAIMAROCKNROLL | ANO 7 
47ª EDIÇÃO | 22/05/18

Nenhum comentário: